Como funciona o golpe do cheque em branco aplicado por candidatos a prefeito?

O principal suspeito de aplicar esse golpe, segundo a promotoria é o atual prefeito de Campo Grande, MS, sendo que o valor pode chegar a um milhão de reais. Todo o embróglio teria iniciado na campanha de 2012. Na época, Gilmar Olarte, do Partido Progressista, era candidato a vice-prefeito.

Ele pegava folhas de cheque em branco que eram trocadas com agiotas, mediante pagamento de juros. E quem tinha emitido esses cheques recebia a promessa de que iam preencher cargos públicos e contratos com a administração.

Quem pedia esses cheques era Ronan Feitosa de Lima, segundo o Ministério Público, um ex-assessor de Gilmar Olarte. Os dois são pastores da Igreja Evangélica Assembleia de Deus Nova Aliança.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Dê-nos sua opinião sobre este assunto!

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*