Vereador é cassado por vender para órgão do próprio município

Alessandro Grando  vereador do PSD no município de Cerquilho, São Paulo, teve o seu mandato eletivo cassado pela Câmara Municipal em 05/05/2016. A acusação é de que o estabelecimento comercial do vereador vendeu filtros de água e descartáveis no valor total de R$ 510,50 ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Cerquilho (Saec).

A negociação entre vereador com qualquer órgão público é proibida em Cerquilho de acordo com lei orgânica municipal. Dos 13 vereadores, 11 votaram a favor e dois votaram contra.

Vereador confirma venda ao Saec mas diz sofrer perseguição (Foto: Reprodução/ TV TEM)

Grando confirma as três vendas feita ao Saec, mas defende que a comercialização dos produtos foi pontual sem existência de licitação ou documentos. Afirmou ainda que a CP foi baseada em disputas políticas e que irá recorrer na Justiça.

“Eu nem estava na loja nos dias da venda. Um funcionário da Saec foi até lá e comprou o que queria com a atendente. Não tenho como ser responsabilizado, porque não houve licitação e porque não cuido do financeiro da Saec. Essa denúncia ocorreu porque sou oposição ao prefeito e tentaram achar um motivo para eu sair”, afirmou o verador ao site G1.

Você acha que a venda dos filtros seria um motivo válido para a cassação do vereador?

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário

Dê-nos sua opinião sobre este assunto!

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*